Você pode contribuir para a manutenção desse projeto.

Solicite o envio do dvd com as apresentações da II Semana de Filosofia do CEFS - 2014.
Você pode pagar com boleto, transferência bancária, cartões de débito ou crédito. Frete grátis para todo o Brasil.
Mais informações e pedidos também pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Comprar 01 a 04 exemplares:
R$20,00/unidade

Pacote com 05 exemplares:
R$60,00/pct

Pacote com 10 exemplares:
R$100,00/pct

Pacote com 20 exemplares:
R$160,00/pct

O Brasil Caiçara, genealogia para a reinvenção do futuro

Apresentação: Márcio Barreto - Pesquisador da Cultura Caiçara

Dia 19 de novembro de 2014, às 17horas.

Local: Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, Santos/SP (SESC)

Sala: 01.

Em um mundo avassalador para as culturais locais, onde macrotecnologias determinam uma expressão cultural homogênea, pasteurizada e direcionada ao consumo imediato, é preciso repensar os conceitos e os valores que tem nos guiado há tanto tempo – desde as tendências eurocêntricas, aos determinismos imperialistas e às questões que envolvem a globalização. Nesse contexto, as referências individuais são incessantemente impactadas pelo encontro de outras culturas cujas representações são fragmentadas e reagrupadas através dos novos conhecimentos e saberes que produz. Identidades cujas bases de reconhecimento muitas vezes se complementam e se contradizem. Nunca antes as questões quanto à identidade cultural assumiram aspectos tão importantes para a compreensão de um mundo multifacetado e ao mesmo tempo padronizado em suas diferenças abissais. A presente comunicação tem como objetivo repensar a identidade cultural do povo brasileiro e parte da hipótese de que o caiçara, tendo nascido da miscigenação entre os índios autóctones, os europeus e os africanos, na costa do litoral brasileiro, no início da colonização, representa a gênese do povo brasileiro. Não como uma identidade cultural fixa com costumes, hábitos, crenças e manifestações culturais rígidas e imutáveis, mas como uma cultura viva e em constante transformação que se expandiu através dos primeiros desbravamentos, do movimento das Bandeiras e dos ciclos econômicos pela qual passou. Uma identidade que, em sua gênese e desenvolvimento, foi capaz de assegurar um conjunto de representações significativas sobre a identidade nacional frente a um processo de formação baseado no choque entre culturas estrangeiras que só se encontrariam aqui, nesta terra antes chamada de Pindorama.

AddThis Social Bookmark Button
  • leiamais