AddThis Social Bookmark Button

Artefato Cultural

Santos: história, memória e cultura

A cidade de Santos é uma das mais antigas em termos históricos e culturais do Brasil, da mesma forma que a maioria das cidades do litoral de São Paulo, pois estão inseridas no contexto histórico do início da colonização do Brasil, na primeira metade do século XVI.



Podemos dizer que todos os principais fatos e acontecimentos históricos da história do Brasil estão relacionados com a história da Cidade e da região: índios, piratas, escravos, economia relacionada à cana-de-açúcar e engenhos, sal, ouro, café, desenvolvimentos urbano, a luta pela abolição dos escravos e pela proclamação da República, a questão da cultura envolvendo teatro, dança, música etc, movimento operário no final do século XIX e primeiras décadas do século XX, golpe militar em 1964 e, principalmente, a luta pela autonomia após a intervenção militar.

Além disso, temos todo o patrimônio cultural da Cidade: edifícios históricos, conjuntos arquitetônicos do Valongo, Paquetá, Vila Nova, Vila Belmiro e os chalés do Macuco. Também as praças, lugares e monumentos, que são referências da nossa história. Temos, ainda, vários personagens históricos de fundamental importância: Brás Cubas, Alexandre e Bartolomeu de Gusmão, José Bonifácio de Andrada e Silva e seus irmãos, e, na Literatura, nomes como: Vicente de Carvalho, Martins Fontes, Ribeiro Couto, Roldão Mendes Rosa e muitos outros.

É bom lembrarmos, também, de todas as tradições e influências culturais que constituem a nossa cultura através da influência dos índios, negros e caiçaras. Apesar disso, a maioria das pessoas não tem a percepção da importância de Santos e região na História do nosso país. O que temos visto é que a maioria das cidades faz um discurso sobre a sua importância histórica e cultural, sobre o fato de ser uma estância balneária, mas, na prática, não existe uma preocupação efetiva com o seu patrimônio histórico e cultural. Na verdade, são poucas as cidades do nosso litoral que vêm tendo esta preocupação e vêm desenvolvendo um trabalho de recuperação de seu patrimônio cultural. Podemos citar: Santos, Praia Grande, Iguape, São Sebastião; mesmo assim, o que podemos perceber é que, na maioria delas, com exceção da cidade de Santos, os danos causados ao patrimônio edificado e aos acervos documentais e iconográficos são irreversíveis.

Existem cidades que, mesmo tendo o seu povoamento iniciado lá no século XVI, não possuem absolutamente nada de acervo documental ou de patrimônio edificado que seja referência  de algum período de sua história, isto porque foi sendo permitida a sua destruição gradativamente, em alguns casos pela ação do tempo, em outros, pela ação deliberada do homem, que não consegue entender a importância da história e da cultura para um povo.

Isto também acontece porque, infelizmente, não existe um debate ou uma discussão mais ampla sobre estas questões em nossa região. Podemos dizer que a maioria das instituições de nossa região que lida com a cultura não consegue estabelecer um debate mais abrangente. Ouso dizer que não conseguimos deixar de ser provincianos, como também não somos capazes de deixar de olhar para o nosso próprio umbigo, fazendo com que as questões relacionadas à história, memória e cultura deixem de ser pensadas de uma forma mais global. Não podemos esquecer que as histórias das cidades estão interligadas, portanto, não podem ser pensadas e trabalhadas de forma individual e particular. Esta situação faz com que exista uma falta de identidade cultural mais forte entre o nosso povo e sua cultura.

A proposta e o objetivo desta coluna é falar da história, memória e cultura das cidades do litoral de São Paulo. Nos propomos também a ser uma referência para o estudo e a pesquisa sobre as questões relacionadas à história e cultura das cidades de nossa região. Estaremos procurando ter, na coluna, artigos, bibliografia, textos históricos, orientação para pesquisa e principalmente teremos a preocupação de ser um instrumento onde a pessoas possam conhecer um pouco mais de nossa história, memória e cultura. Para desenvolver este trabalho, fomos adquirindo toda uma experiência através de mais de uma década de estudos e pesquisas sobre a cidade de Santos e as cidades da região, como também do trabalho profissional desenvolvido numa instituição de pesquisa durante este tempo, na Fundação Arquivo e Memória de Santos. Ao longo deste tempo, temos acumulado uma certa quantidade de material de pesquisa, textos e informações, que temos como objetivo socializar para que um número cada vez maior de pessoas possa conhecer o potencial de história, memória e cultura que as cidades do litoral possuem.

Temos também a intenção de, através deste site e desta coluna, estabelecer um diálogo e um debate com as pessoas que tenham um interesse verdadeiro de contribuir para o resgate, para a conservação e preservação de nossa história, memória e cultura. Não podemos deixar de lado aquele conceito de que um povo forte e desenvolvido é aquele que conhece o seu passado, que vivencia a sua cultura, criando as condições para que as gerações vindouras vivam num mundo e numa Cidade melhor.

 

                                                                                                    José Dionísio de Almeida
                                                                                                              Historiador

 

 Home      Capa

  • leiamais
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Fábio Alberti Cascino

Colaboração
José Sobreira de Barros Júnior

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Coluna do Leitor

Cultura "inútil"

Apesar de não percebermos, nós vivemos em um mundo em que todas as informações são atualizadas em todos os instantes, além de circularem pelo mundo inteiro em velocidades impressionantes através dos meios de comunicação mais utilizados por pessoas de todas as idades,

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

 Por que Heidegger e a Poesia?

 1. Heidegger e a Poesia

 1.1. Visão panorâmica

 A pergunta fundamental da filosofia de Heidegger é aquela sobre o sentido do Ser. Assim, a questão maior não é o homem, mas o Ser em ser conjunto. Ele é que torna possível a abertura para a compreensão da existência humana,

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Religião na Bioética, avanço ou retrocesso

 A bioética surge da necessidade de defender os direitos humanos, já que, em nome do avanço científico, várias transgressões aos direitos humanos estavam acontecendo, como o das experiências nazistas com prisioneiros nos campos de concentração e outras experiências subseqüentes

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Paradigmas
Filosofia, Realidade & Arte

Ano IX - Nº 35
ISSN 1980-4342

Março/Abril 2009

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Teste seus

Conhecimentos

 

  1. Para Vigotsky, a linguagem:
  2. Possui valor absoluto diante da realidade Leia mais...
    AddThis Social Bookmark Button

     A significação do Baobá na cultura africana e suas transmutações ideológicas pós-contato europeu.

    Vanderleia Barbosa da Costa

    Graduanda em Gestão de Turismo

     pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo- Campus Cubatão

    O Baobá é uma árvore originária das estepes africanas e regiões semiáridas de Madagascar, seu nome científico é Adansonia digitata; pode atingir até 30 metros de altura por 7 metros de circunferência. É resistente, sobrevivendo por longos períodos de estiagem, devido à sua capacidade de armazenar água, cerca de 120 000 litros e atinge até seis mil anos de idade. Pela magnitude e força, o Baobá é para muitas etnias africanas a árvore da vida.

    Leia mais...
    AddThis Social Bookmark Button

    Espaço-Poesia

    Canto para a minha morte

    Leia mais...
    AddThis Social Bookmark Button

    Totalidade e ética: questões para se pensar a vida e o encontro humano

    Sandro Cozza Sayão

    Doutor em Filosofia – PUCRS; Mestre em Filosofia – PUCRS

    Mestre em Educação Ambiental – FURG; Professor Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Pernambuco; Professor do Programa de Pós Graduação Mestrado/UFPE; Membro da Comissão de Direitos Humanos Dom Helder Câmara; Membro do Núcleo de Ciência e Cultura de Paz da UFPE

     

    Não há dúvida que nosso tempo é singular e porque não dizer frágil. A esperança de um mundo mais digno e ético e a idealização de uma sociedade mais justa baseada no progresso científico, econômico e tecnológico, não mais se sustentam e isso nos leva a um interim,

    Leia mais...
    AddThis Social Bookmark Button

    Expediente

    Revista Paradigmas

    Filosofia, Realidade & Arte

    Ano XII - n. 39

    ISSN 1980 - 4342

    Julho/Agosto – 2012

    Leia mais...

Paradigmas 31

AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Revista Paradigmas, uma publicação do CEFS – Centro de Estudos Filosóficos de Santos

Edição 31

Ano VI - Março/Abril 2006

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Artefato Cultural

Santos: história, memória e cultura

A cidade de Santos é uma das mais antigas em termos históricos e culturais do Brasil, da mesma forma que a maioria das cidades do litoral de São Paulo, pois estão inseridas no contexto histórico do início da colonização do Brasil, na primeira metade do século XVI.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Anatomia de um Acidente

“Todos os erros humanos são impaciência, uma interrupção prematura de um trabalho metódico.” (Franz Kafka)

 Acidentes de trabalho são frutos de nossas escolhas e conseqüências de nossas próprias atitudes. Qual seria sua decisão, por exemplo, diante das seguintes situações:

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Amor e felicidade segundo Aristóteles

(...) o homem feliz vive bem e age bem; pois definimos praticamente a felicidade como uma espécie de boa vida e boa ação.” (Aristóteles, Ética a Nicômaco, livro I,8)   

             Aristóteles define o homem como ser racional e considera a atividade racional, o ato de pensar, como a essência da natureza humana.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Schiller e a questão da Estética

“No silêncio pudico de tua mente educa a verdade vitoriosa, exterioriza-a na beleza, para que não apenas o pensamento a homenageie, mas para que também os sentidos apreendam, amorosos, a sua aparição”.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

O contratualismo de John Rawls e a Teoria da Justiça como eqüidade

A teoria da justiça como equidade de John Rawls propõe uma idéia de justiça que generaliza e leva a um nível mais alto de abstração o conceito tradicional do contrato social.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Brasil cercado pelos EUA?

Professor Moniz Bandeira diz que EUA têm “cinturão militar” em volta do Brasil.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Será preciso?

Leia mais...

Ofertas