AddThis Social Bookmark Button

Observador

Macroeconômico

A Janela está aberta

(*) Valter Pereira Appas

 

O enfraquecimento do dólar no mercado internacional em razão dos déficits gêmeos nos Estados Unidos abre uma janela de oportunidade única para o Brasil. Como nossas contas externas estão superavitárias em patamares acima de US$ 10 bilhões, é hora de recompor reservas e diminuir o nosso endividamento externo, dois calcanhares de Aquiles que debilitaram o país nos últimos 30 anos. Com reservas mais robustas e uma dívida externa menor em relação ao PIB, teremos muito mais margem de manobra para consolidarmos políticas estruturantes que permitirão um crescimento sustentável de longo prazo, condição “sine qua non” para a verdadeira inclusão social daqueles brasileiros que ainda vivem à margem do desenvolvimento.

O Branco Central tem intervindo no mercado de câmbio nas últimas semanas numa tentativa, até agora infrutífera, de frear a apreciação do real em relação à moeda americana. Essa ação, porém, tem apenas o objetivo imediatista, mas não menos louvável, de assegurar a competitividade de nossas exportações. Entretanto, o momento exige mais audácia e visão de longo prazo, há liquidez no mercado para intervenções mais ousadas, com o objetivo firme de recomposição das reservas, que em última análise, reforçarão no futuro a posição brasileira no instável mercado financeiro internacional. A China deve em muito a sua performance econômica à robustez de suas reservas, que ultrapassam atualmente os US$ 400 bilhões. Durante décadas a fragilidade externa das contas brasileiras foi um entrave ao nosso crescimento, a conjuntura atual é uma rara oportunidade de eliminarmos esse obstáculo, mas para isso é preciso uma ação decisiva da autoridade monetária e não apenas ações tímidas e sem objetivos claros, como têm sido adotadas. Será imperdoável, ainda mais a um governo que se intitula de esquerda, perder a chance de fortalecer a posição do Brasil diante da banca internacional.

(*) Valter Pereira Appas, autor desta coluna, é historiador, especializado em História Econômica do Brasil, professor de Geopolítica e Economia

Home      Capa

  • leiamais
AddThis Social Bookmark Button

Conhecimento, verdade, Heidegger e a tradição

Apesar de tudo aquilo que pode ser dito contra o modelo filosófico apresentado por Heidegger em Ser e Tempo – que tem estilo tortuoso, demasiadamente teutônico e etc. – não se pode negar o fato de que tal modelo filosófico acaba trazendo uma rajada de ar fresco aos enigmas

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

 

A dialética do conceito em Theodor  W. Adorno

Apresentação: O objetivo do trabalho é refletir acerca da “dialética do conceito” em Theodor W. Adorno. Em face disso, descreve-se uma linha de raciocínio que se desdobra em dois planos. O primeiro apresenta o conceito como condição de possibilidade da tentativa humana em dominar a natureza cuja verdade lhe é desconhecida, buscando assim, conhecer tudo aquilo que lhe é oposto segundo o princípio de identidade.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Relação entre fato e proposição em Wittgenstein

As investigações desenvolvidas por Wittgenstein no Tractatus levou-o a postular uma profunda mudança na teoria do conhecimento. Wittgenstein, diferentemente de Kant, vê o mundo como uma totalidade de fatos e não de coisas. Desta forma, fundamental para o homem é perceber que os limites do seu mundo fundam-se nos limites do dizível. 

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Não passou

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Revista Paradigmas

Filosofia, Realidade & Arte

ISSN 1980-43442

Edição 33

Janeiro/Fevereiro 2007

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Com Renato Nunes Bittencourt,

Doutor em Filosofia - UFRJ.
Especialista em Filosofia Grega Antiga, Espinosa, Schopenhauer,
Nietzsche, Marx, teoria psicanalítica e temas relacionados a
teoria da comunicação, comunicação corporativa, Moda
Consumo e crítica da cultura contemporânea

Colaboração:

Wellington Lima Amorim

 

1. Partindo do pressuposto de que o conceito de Pós-modernidade expressa um período de transição entre a Modernidade e um futuro ainda por ser construído, pode-se afirmar que a contemporaneidade é marcada pela desconstrução dos valores do sujeito e o aparecimento do conceito de pessoa, como recusa do assujeitamento do sujeito moderno?

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Metáfora

Uma lata existe para conter algo

Mas quando o poeta diz: "Lata"

Pode estar querendo dizer o incontível

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Questões de filosofia da ciência: um panorama atual

Leonardo Francisco Schwinden

Professor da Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Epistemologia – UFSC

 Resenha de:

Ciência: conceitos-chave em filosofia /Steven French;

Trad.: André Klaudat. - Porto Alegre: Artmed, 2009, 196p.

Ciência: conceitos-chave em filosofia é uma introdução atualizada de filosofia da ciência escrita pelo professor Steven French com base no material utilizado por ele com os alunos do primeiro ano na Universidade de Leeds. O livro é composto de um total de 10 capítulos, relativamente curtos, embora bastante densos em termos da quantidade de teorias analisadas e aspectos considerados de cada uma. As notas ao final de cada capítulo contêm não apenas referências de obras citadas no texto,

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Muita bola e um pingo de filosofia

Edson Pipoca

blogdopipoca.wordpress.com


Nós brasileiros somos muito sortudos: Deus é brasileiro, em fevereiro tem carnaval e nossas negas chamadas Teresas, Marias e etc são as mais sexies do mundo.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

EDUCAÇÃO E EXISTENCIALISMO: um diálogo possível entre Freire e Sartre

 José Alan da Silva Pereira

Graduado em licenciatura plena em filosofia pela faculdade de filosofia, ciência e letras de Caruaru – FAFICA. Atualmente mestrando em filosofia pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

1. Introdução

 

          No prefácio para o livro Pedagogia do Oprimido, o professor Ernani Maria Fiori traz um dos testemunhos mais contundentes e uma das frases mais elucidativas sobre a personalidade educadora de Paulo Freire: “Paulo Freire é um pensador comprometido com a vida: não pensa ideias, pensa a existência” (FREIRE, 2005, p. 7). Ao ler tal sentença, percebemos a partir de onde um diálogo pode ser estabelecido entre esses dois gigantes do pensamento contemporâneo, a saber: Freire e Sartre.       

Leia mais...

Ofertas