AddThis Social Bookmark Button

Observador Macroeconômico

 

Planejando o futuro das cidades: garantia de qualidade de vida

Nos últimos 50 anos, a sociedade brasileira sofreu profundas transformações econômicas e culturais; a urbanização resultante da expansão industrial trouxe um choque civilizatório abrupto e ainda não assimilado totalmente. Até 1950, éramos uma sociedade rural, oligarquizada, cujas relações interpessoais pautavam-se pela simplicidade e a confiança. Em menos de duas gerações, mais de 80% da população do país passou a morar em áreas urbanas, algumas com mais de 10 milhões de habitantes, como São Paulo e Rio de Janeiro, induzindo a hábitos e costumes totalmente diversos daqueles que eram praticados anteriormente. Na Europa, e mesmo nos Estados Unidos, essa transição de rural para urbano levou mais de três séculos, num processo muito menos traumático, permitindo uma adaptação progressiva às novas regras de convivência que o ambiente urbano impõe às pessoas. Além disso, a urbanização mais gradual permitiu que as cidades se preparassem melhor para receber os novos contingentes de forma mais planejada, ao contrário das nossas que assistiram atônitas, à chegada de milhões de pessoas egressas da área rural e que iam se alojando onde podiam, fazendo surgir novos ”bairros” praticamente da noite para o dia.

A maioria dos problemas contemporâneos nacionais, como violência, agressão ao meio ambiente e distúrbios psicossociais  tem origem na urbanização acelerada do último meio século. Para resolvê-los, o país precisa primeiro radiografar suas cidades e as modificações comportamentais por elas impostas à sociedade. É preciso incentivar estudos acadêmicos sobre o tema para encontrar soluções adequadas e evitar os “achismos” que prevalecem nas tentativas de solucionar os inúmeros problemas urbanos que afetam a todos os brasileiros. Aqui mesmo no país, temos exemplos de como o planejamento sério e boas práticas administrativas podem melhorar significativamente a qualidade de vida nas cidades: Curitiba é hoje referência mundial em planejamento urbano e qualidade de vida, tudo conseguido com muito planejamento e medidas simples e de relativo baixo custo. Estender para todo o país o exemplo de Curitiba é essencial para resolvermos a maioria dos problemas que afligem os brasileiros e seu “novo” cotidiano urbano de “apenas” meio século. Importar soluções do exterior não funciona para a nossa realidade, as soluções para as metrópoles brasileiras têm que ser criadas aqui, para a nossa realidade específica.

Neste ano de eleições municipais, seria bom que todos os que pretendem administrar nossas cidades colocassem como prioridade o planejamento urbano, como forma de contornar nossos problemas cotidianos e garantir um futuro mais promissor para todos os cidadãos.

Home      Capa

  • leiamais

Leia também outros artigos

39. Filosofar pra quê?
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Filosofar pra quê?

Edson Pipoca

blogdopipoca.wordpress.com

 

 As pessoas dizem: “Filosofia é muito chata!” E é mesmo! Daqui imagino 10 coisas legais que poderíamos fazer em lugar de Filosofar. Ficar no facebook postando filosofia de beira de estrada; arrumar uma gata e... bem ... e ter filhos... e pagar pensão, e... ficar filosofando sobre e se eu tivesse usado camisinha? Bem, talvez não sejam 10, mas o troço é de pirar o cabeção mesmo. 

Leia mais...
38. Expediente
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

 

Filosofia, Realidade & Arte

Ano XII - n. 39

ISSN 1980 - 4342

Janeiro/fevereiro - 2012

Leia mais...
40. Pau que nasce torto se endireita
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Pau que nasce torto se endireita

 Edson Pipoca

Por que um pensador de esquerda dá pra trás?! Bem, há a derrocada do comunismo... não, não! Parece-me algo mais palpável, sabe?! Matéria pura! Eu por exemplo tive um amigo que era o tipo de esquerda de carteirinha, quer dizer, sem carteira, já que não tinha dinheiro pra nada. Um duro!

Leia mais...
A EAD e a volta da Filosofia ao Ensino Médio
AddThis Social Bookmark Button

A EAD e a volta da Filosofia ao Ensino Médio

 

A educação à distância e a volta da filosofia para o Ensino Médio: duas novidades da educação no país que ainda são muito discutidas. Para aqueles que fazem o curso de filosofia à distância ou leciona nele, torna-se ainda mais necessária tal discussão.

Leia mais...
Expediente
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

 

Revista Paradigmas

ISSN 1980-43442

novembro/2008

Leia mais...