AddThis Social Bookmark Button

Fábulas & Paradigmas

A Zebra e as Hienas


    Numa bela floresta, andava uma zebra perdida de seu grupo. Era um tanto dispersiva, o listrado quadrúpede, vivia contemplando a paisagem e nem sempre percebia onde estava. Aproveitava para olhar melhor ao redor antes de voltar para casa, bem devagar. Um dia, perdeu a hora e galopou, mas não previra que um grupo de hienas cortasse seu caminho. Por sorte, elas haviam comido e não a matariam – assim supôs -, porém como as hienas são agressivas, cuidou de rumar em outra direção.

    - Ora, zebra, estás com pressa? Fica conosco para brincar! Disseram as hienas rodeando o quadrúpede.

    A zebra pensou que não haveria mal nisso e aceitou brincar. Ficou no centro e as hienas lhe explicaram que deveria dançar ao ritmo de suas risadas. Então, começaram a rir e a zebra a dançar. Tudo parecia bem até o momento em que a zebra ficou cansada e quis parar, mas as hienas riam histericamente e fecharam a roda. A zebra viu olhos brilhantes, bocas abertas e dentes pontiagudos.
Amedrontada, esperava o momento em que pudesse sair por uma abertura eventual no círculo.

    - Zebra - disse a mais feroz das hienas -, estás cansada? E aproximou-se um pouco mais.

    A zebra aproveitou o deslocamento da hiena e, dando coices, conseguiu sair do centro galopando para casa. As hienas agruparam-se chorosas pela caça perdida e foram procurar outra vitima nas redondezas.
Moral da História: Uma vítima natural nunca deve brincar com seus naturais carrascos.

Rachel Gazolla

Visite a seção  “Fábulas e histórias” no site www.hypnos.org.br

Home      Capa

  • leiamais

Leia também outros artigos

41.A arte como fator de existência em Neusso Ribeiro
AddThis Social Bookmark Button

A arte como fator de existência 

Uma análise da obra do artista plástico Neusso Ribeiro

Regina Drumond Moraes

Curso de Filosofia da UFES

Este artigo tem como objetivo explicar e analisar a obra do artista plástico autodidata Neusso Ribeiro.

Leia mais...
Espaço-Poesia 35
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Desemprego

 Desemprego
Mãos vazias
Filhos com fome
Incerteza na boca dos homens
Desemprego
Agonia
Lojas vazias
Filas imensas
Mãos em romaria
Desemprego
Nó no futuro
Globalização fora de rumo
Invisível e intransponível muro
Desemprego
No sono
Na fila
No coração do homem trabalhador
Só desassossego
Desemprego
Bicho-papão
Se nada for feito
Viraremos refeição

Peilton Sena

Home      Capa

Expediente 36
AddThis Social Bookmark Button

 Expediente

Paradigmas
Ano IX - Nº 36
Filosofia, Realidade & Arte
ISSN 1980-4342

Janeiro/Fevereiro 2010

Leia mais...
39. Filosofar pra quê?
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Filosofar pra quê?

Edson Pipoca

blogdopipoca.wordpress.com

 

 As pessoas dizem: “Filosofia é muito chata!” E é mesmo! Daqui imagino 10 coisas legais que poderíamos fazer em lugar de Filosofar. Ficar no facebook postando filosofia de beira de estrada; arrumar uma gata e... bem ... e ter filhos... e pagar pensão, e... ficar filosofando sobre e se eu tivesse usado camisinha? Bem, talvez não sejam 10, mas o troço é de pirar o cabeção mesmo. 

Leia mais...
Expediente 37
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Paradigmas

Ano X - Nº 37
Filosofia, Realidade & Arte
ISSN 1980-4342

Setembro/outubro 2011

Leia mais...