AddThis Social Bookmark Button

Fábulas & Paradigmas

A Zebra e as Hienas


    Numa bela floresta, andava uma zebra perdida de seu grupo. Era um tanto dispersiva, o listrado quadrúpede, vivia contemplando a paisagem e nem sempre percebia onde estava. Aproveitava para olhar melhor ao redor antes de voltar para casa, bem devagar. Um dia, perdeu a hora e galopou, mas não previra que um grupo de hienas cortasse seu caminho. Por sorte, elas haviam comido e não a matariam – assim supôs -, porém como as hienas são agressivas, cuidou de rumar em outra direção.

    - Ora, zebra, estás com pressa? Fica conosco para brincar! Disseram as hienas rodeando o quadrúpede.

    A zebra pensou que não haveria mal nisso e aceitou brincar. Ficou no centro e as hienas lhe explicaram que deveria dançar ao ritmo de suas risadas. Então, começaram a rir e a zebra a dançar. Tudo parecia bem até o momento em que a zebra ficou cansada e quis parar, mas as hienas riam histericamente e fecharam a roda. A zebra viu olhos brilhantes, bocas abertas e dentes pontiagudos.
Amedrontada, esperava o momento em que pudesse sair por uma abertura eventual no círculo.

    - Zebra - disse a mais feroz das hienas -, estás cansada? E aproximou-se um pouco mais.

    A zebra aproveitou o deslocamento da hiena e, dando coices, conseguiu sair do centro galopando para casa. As hienas agruparam-se chorosas pela caça perdida e foram procurar outra vitima nas redondezas.
Moral da História: Uma vítima natural nunca deve brincar com seus naturais carrascos.

Rachel Gazolla

Visite a seção  “Fábulas e histórias” no site www.hypnos.org.br

Home      Capa

  • leiamais
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Com Eduardo Palmeira Bandeira,

Psicólogo Clínico Pós-graduado pela Univ. da California-USA.
Prof. de Teorias e Técnicas Psicoterápicas e Arteterapia;

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

O realismo exemplarista:Uma breve análise da questão 46 do livro sobre oitenta e três questões diversas de Sto. Agostinho

Adriano Soler
Mestrando em Filosofia - PUCSP


O aristotelismo tenta definir a essência de uma coisa e assim, demonstrar quais características que determinada coisa deve ter de acordo com a sua natureza. Assim, surgem os aristotélicos com uma questão por demais complexa, que seria: O que é uma natureza, se ela é uma realidade superior e acima das coisas cuja natureza ela é? Ou ainda, se ela é uma construção mental que existe apenas em nosso entendimento das coisas e se assim for, em qual base ela é construída? Desta forma, se inicia o problema dos universais na filosofia medieval.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

 

Filosofia, Realidade & Arte

Ano XII - n. 39

ISSN 1980 - 4342

Janeiro/fevereiro - 2012

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

AS CONCEPÇÕES EDUCACIONAIS EM VYGOTSKY E FOUCAULT

PAULO DIAS GOMES

Filósofo, Teológo, Doutor em Ciências da Religião e Especialista em Docência do Ensino Superior e em Educação à Distância.

Professor titular da Cadeira de Fenomenologia e Existencialismo, Lógica e Metafísica da Faculdade Phênix de Ciências Humanas e Sociais do Brasil

 

Lev Semionovitch Vygotsky Nasceu em 17 de Novembro de 1896 na cidade Orsha – Moscou. Pensador importante, foi pioneiro na noção de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais (e condições de vida).

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Pau que nasce torto se endireita

 Edson Pipoca

Por que um pensador de esquerda dá pra trás?! Bem, há a derrocada do comunismo... não, não! Parece-me algo mais palpável, sabe?! Matéria pura! Eu por exemplo tive um amigo que era o tipo de esquerda de carteirinha, quer dizer, sem carteira, já que não tinha dinheiro pra nada. Um duro!

Leia mais...