AddThis Social Bookmark Button

Cinema

Preciosa Rubiácea

 Pré-Estréia do curta metragem “Preciosa Rubiácea”

Data: 29 de agosto – Sexta-feira.

Local: Rua Do Comércio (projeto Happy Hour da XV)

Horário: 18 horas.

Projeção: 21 horas

 

A pré-estréia do curta metragem “Preciosa Rubiácea”, produzido pelo CEFS – Centro de Estudos Filosóficos de Santos, acontece nesta sexta-feira, dia 29 de agosto, às 21 horas, no projeto “Happy Hour da XV”, na Rua do Comércio, em Santos.

O filme, que tem como ator principal o santista Serafim Gonzales – O Dr. Onofre Moretti, da novela “Mulheres Apaixonadas” – e é dirigido por Nattália Moura, narra o encontro de Fernada Van Dorf (Gisele Petty) com a história de sua família, através das lembranças de seu avô, o corretor de café holandês, Peter Van Dorf, vivido por Gonzales e Charles Murray (nas cenas de época). De maneira poética, Peter conta sua chegada ao Brasil nos anos 30 e a sua visão da época de ouro da economia santista, além de seu amor pela cantora de cassinos e futura esposa Dolores Gonçalves, vivida por Adelina Gonçalves e Janaína Donattoni (cenas de época) .

Ao criar o argumento da história, a diretora Nattália Moura, formada em publicidade pela UNISANTA, e com especialização em cinema pela FUNARTE, em São Paulo, quis, além de contar uma história de amor, mostrar indícios da decadência econômica ocorrida em Santos nas últimas décadas, devido principalmente a uma queda do fluxo das operações cafeeiras no Brasil, o que refletiu diretamente na cidade de Santos. Dessa maneira, e preocupada com o patrimônio histórico da cidade, ela ilustra essa situação com a degradação do centro histórico e a falta de perspectivas do trabalhador, principalmente entre os jovens, os quais, em muitos casos, se vêem obrigados a sair da cidade, indo principalmente para São Paulo, para tentar realizar suas aspirações profissionais.

O filme mobiliza, diretamente, uma equipe de mais de 100 pessoas; foi filmado em câmera Super 16mm, com a presença de profissionais jovens nas funções criativas, como aliás, vale destacar: a diretora, Nattália Moura, tem apenas 23 anos, assim como o roteirista Daniel Lopes, o assistente de arte e autor dos desenhos Maurício Gonzaga, e sua assistente Cinthia Gama, além do diretor de produção Márcio Teixeira, com 24 anos.

Foram utilizados vários cenários santistas como locações: a Bolsa do café, o cassino do Monte Serrat, o café Paulista e a vista panorâmica do Monumento Niemayer (Ilha Porchat). A música tema, “Pequenos Ardis”, é de composição do músico e professor de história Paulo Maimone, cantada por Kika Wilcoxx acompanhada ao piano por Teo Cancelo, todos nascidos em Santos.

Luiz Meirelles, Presidente do Centro de Estudos Filosóficos de Santos, explica que uma das intenções da associação é aproximar a filosofia do cotidiano das pessoas. E a expressão artística é uma das maneiras por excelência. Preciosa Rubiácea é a primeira produção artística dessa entidade, que já conta com a publicação da revista Paradigmas, distribuída nas universidades e livrarias da região e em São Paulo.

Ficha Técnica

Atores: Peter VanDorf: Serafim Gonzáles; Charles Murray (anos 30-40); Dolores Gonçalves: Adelina; Janaína Donattone (anos 30-40); Fernanda VanDorf: Gisele Petty; Direção: Nattália Moura; Roteiro: Daniel Lopes; Direção de Fotografia: José Esteves e Francisco Olejnik; Direção de Arte: Cátia Ferreira; Direção de Produção: Márcio Teixeira;

Desenhos e ass.de Arte: Maurício Gonzaga; Ass. de Produção: Cynthia Gama;

Roteiro – 1º tratamento : Juliana Rosano; Figurino: Cristina Pires.

 

Home      Capa

  • leiamais
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Filosofar pra quê?

Edson Pipoca

blogdopipoca.wordpress.com

 

 As pessoas dizem: “Filosofia é muito chata!” E é mesmo! Daqui imagino 10 coisas legais que poderíamos fazer em lugar de Filosofar. Ficar no facebook postando filosofia de beira de estrada; arrumar uma gata e... bem ... e ter filhos... e pagar pensão, e... ficar filosofando sobre e se eu tivesse usado camisinha? Bem, talvez não sejam 10, mas o troço é de pirar o cabeção mesmo. 

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Nicolai Hartmann. A metafísica do conhecimento

Luiz Meirelles

Mestre em Filosofia PUCSP

Bel. em Direito Unisantos

Lic em Filosofia Unisantos

Lic em Letras Unisantos

Nicolai Hartmann nasceu em Riga, na Letônia, em 1882, e morreu em Gottingen, na Alemanha, em 1950.

Seus estudos começaram em Marburgo, onde chegou ao doutoramento e a partir de 1922 foi contratado como docente da universidade de mesmo nome. Em 1925, deixou aquela universidade, sucedido por Heidegger, e foi lecionar em Colonia, onde ficou até 1931, quando se mudou para Berlim, também convidado a lecionar na universidade. Somente em 1945 retirou-se de Berlim para Gottingen, onde permaneceu até sua morte, em 1950.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

O realismo exemplarista:Uma breve análise da questão 46 do livro sobre oitenta e três questões diversas de Sto. Agostinho

Adriano Soler
Mestrando em Filosofia - PUCSP


O aristotelismo tenta definir a essência de uma coisa e assim, demonstrar quais características que determinada coisa deve ter de acordo com a sua natureza. Assim, surgem os aristotélicos com uma questão por demais complexa, que seria: O que é uma natureza, se ela é uma realidade superior e acima das coisas cuja natureza ela é? Ou ainda, se ela é uma construção mental que existe apenas em nosso entendimento das coisas e se assim for, em qual base ela é construída? Desta forma, se inicia o problema dos universais na filosofia medieval.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Paradigmas

Ano X - Nº 37
Filosofia, Realidade & Arte
ISSN 1980-4342

Setembro/outubro 2011

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Com Renato Nunes Bittencourt,

Doutor em Filosofia - UFRJ.
Especialista em Filosofia Grega Antiga, Espinosa, Schopenhauer,
Nietzsche, Marx, teoria psicanalítica e temas relacionados a
teoria da comunicação, comunicação corporativa, Moda
Consumo e crítica da cultura contemporânea

Colaboração:

Wellington Lima Amorim

 

1. Partindo do pressuposto de que o conceito de Pós-modernidade expressa um período de transição entre a Modernidade e um futuro ainda por ser construído, pode-se afirmar que a contemporaneidade é marcada pela desconstrução dos valores do sujeito e o aparecimento do conceito de pessoa, como recusa do assujeitamento do sujeito moderno?

Leia mais...

Ofertas